Archive for the 'pragmatic' Category

JRuby on Rails no RioJUG

Antes de você ler esse artigo, gostaria de informar que esse blog agora está em um host próprio. O mesmo artigo pode ser lido em: http://codificando.com/2008/06/04/jruby-on-rails-no-riojug/. Se você quiser ler aqui mesmo não tem problema, mas as próximas publicações serão feitas apenas no site http://codificando.com/. Um grande abraço.

———————————————————————————-

Na segunda-feira passada, tivemos uma palestra do Fábio Kung sobre JRuby on Rails no RioJUG. Basicamente foi um repeteco da palestra do Falando em Java 2008, a qual estive presente no dia 18/05 passado.

A palestra foi extremamente importante para abrir os olhos de muita gente que acha que Java vai ser Mainstream pra sempre. Pelo que tenho percebido, o tempo de Mainstream de uma linguagem tem diminuído bastante nos últimos tempos. Antigamente uma lingagem ficava na moda por muito mais tempo que hoje.

Em fim, voltando a palestra, foi bem interessante ver uma visão arquitetural de alto nível do GUJ 3.0, observar as escolhas das gems, o problema com as gems nativas e os contornos utilizados.

A escolha de rodar o Ruby na JVM, foi também um fator que foi muito falado durante a palestra. Os fatores principais foram a questão do compartilhamento de sessão entre os nós e o empacotamento do JForum junto na mesma aplicação, sem a necessidade de mágicas para não precisar de 2 logins.

Um fato que me surpreendeu até (já no Falando em Java 2008), foi quando o Fábio disse que a implementação JRuby está sendo considerada a implementação com melhor performance. Isso é muito legal, o que mostra o esforço grande para se obter alternativas à linguagem Java. E o melhor de tudo foi saber que já dá pra rodar o bichinho no Jetty, gerando a mesma produtividade encontrada na dupla Java/Jetty. O trabalho do Fábio foi tão fantástico no jetty_rails, que no RailsConf2008, Jeremy Kemper incluiu o jetty_rails em seu Keynote. O próprio Fábio falou sobre isso.

Pra concluir, apesar do JRuby on Rails e das novas oportunidades que irão surgir, o que mais me deixou feliz foi ver um projeto brazuca fazendo sucesso internacionalmente, no maior evento de Rails da atualidade.

Anúncios

Ta cada vez pior viu

Antes de você ler esse artigo, gostaria de informar que esse blog agora está em um host próprio. O mesmo artigo pode ser lido em: http://codificando.com/2008/05/22/ta-cada-vez-pior-viu/. Se você quiser ler aqui mesmo não tem problema, mas as próximas publicações serão feitas apenas no site http://codificando.com/. Um grande abraço.

———————————————————————————-

Esses dias eu estava procurando um curso básico em informática para minha esposa, que nunca gostou de computador, mas já se convenceu que não dá mais pra correr, rs. Acontece que me deparei com um curso profissionalizante chamado Programador de Sistemas. Será que alguém aprende a ser um programador com 30 horas de lógicca, 30 horas de modelagem de dados, 45 horas de VB.Net (que provavelmente só vai ensinar Visual Studio.Net) e 45 horas de Delphi? (Meu Deus, Delphi em 2008?). É uma irresponsabilidade total criar um curso desses pra enganar pessoas dessa forma. Eu jamais daria um curso desses, sabendo que a coisa não é tão simples assim.

Sabe o que eu fico pensando disso tudo?

  1. A coisa ta cada vez pior em termos de ensino para um programador
  2. Coitado das pessoas que tão entrando nesses cursos e achando que sairão profissionais em programação
  3. Mais e mais gente despreparada entrando no mercado
  4. Mais projetos indo pro buraco
  5. Os poucos que são bons ganhando cada vez mais (Parece bom, mas tem os efeitos colaterais, que é você ter dificuldade de arrumar um lugar legal pra trabalhar, visto que a quantidade de profissionais preparados está ficando cada vez menor)

Por que todo mundo acha que pode ser programador? Eu acho que se eu tivesse que ser médico, morreria de fome, pois só de olhar sangue já fico tonto. As pessoas tem talentos diferentes e programação não é aprender a usar ferramentas. Programação é criação. Criação é talento. Talvez eu não tenha talento pra criar uma logomarca, mas para criar um software sim. E outra pessoa o inverso, que seja.

Cada um na sua, por favor.

Não seja teimoso, seja pragmático

Antes de você ler esse artigo, gostaria de informar que esse blog agora está em um host próprio. O mesmo artigo pode ser lido em: http://codificando.com/2008/04/25/nao-seja-teimoso-seja-pragmatico/. Se você quiser ler aqui mesmo não tem problema, mas as próximas publicações serão feitas apenas no site http://codificando.com/. Um grande abraço.

———————————————————————————-

Estive pensando esses dias sobre algumas coisas que percebi em diversos lugares que trabalhei. Por vezes me deparo com situações em que as pessoas estão tentando aplicar alguma coisa que aprenderam em algum curso, livro, blog, revista, etc . Até ai tudo bem, afinal de contas é legal fazer novos experimentos.

A coisa deixa de ser legal quando o que se tenta aplicar se mostra ineficiente ou ineficaz no cenário/contexto em questão. Nesse momento o que mais vejo são pessoas teimando em continuar com aquela prática, mesmo vendo que aquilo não está funcionando. Eu mesmo, por diversas vezes tive essa atitude.

Uma opção interessante é fazer o seguinte: Quando uma prática não está funcionando, verifique se você está fazendo a coisa como tem que ser. Em caso negativo, tente novamente, dessa vez fazendo da maneira correta. Caso você realmente esteja aplicando a prática que você aprendeu e gostou da maneira correta, mas no contexto que você está tentando a coisa não funciona, simplesmente largue e tente outra coisa. Sempre existem alternativas, sempre….

Ship it! Page 2:
“… Never be afraid to remove something that doesn’t work in your circunstance, and dont keep a practice just because it’s well’known or popular. Forge out your own way, based on what works for you and what doesn’t.”

Eu deixei de ser teimoso faz tempo …. e você?

Quando o freelancer é uma furada.

Antes de você ler esse artigo, gostaria de informar que esse blog agora está em um host próprio. O mesmo artigo pode ser lido em: http://codificando.com/2008/03/19/quando-o-freelancer-e-uma-furada/. Se você quiser ler aqui mesmo não tem problema, mas as próximas publicações serão feitas apenas no site http://codificando.com/. Um grande abraço.

———————————————————————————-

Estive pensando esses dias sobre trabalho freelancer. Por muito tempo aceitei esse tipo de trabalho, pois sempre gerava uma grana extra no bolso. Acontece que comecei a perceber que toda vez que eu pegava um freela pra fazer aquilo me sugava, e naturalmente não conseguia tempo para estudar, me manter atualizado e ainda por cima sempre tinha uma enorme dor de cabeça e por algumas vezes ficava doente, pois o esforço era muito grande.

Você pode querer me questionar dizendo: Mas você vai trocar uma grana boa extra por estudar? Isso você faz depois. Tudo bem, realmente eu posso estudar depois que terminar o freela, isso é uma opção. Mas será que é uma boa opção ralar num freela e deixar pra estudar depois? Vejamos …

Recentemente uma frase antiga começou a martelar na minha cabeça: Work Smarter, Not Harder. Sinceramente nem sei de quem originalmente é essa frase, pois já li em vários lugares e livros então não tenho certeza do criador da mesma. Bom, isso pouco importa. O fato é que comecei a perceber que a maioria dos freelancers que pintavam eram coisas que não me acrescentavam muito em meu conhecimento. Geralmente eram sistemas de cadastro/consultas/relatórios, onde já tinha um bom punhado de código pronto, sem testes automatizados, com build complicado e eu não tinah autonomia para ao menos tentar arrumar a bagunça. Isso sem contar aqueles projetos onde o prazo simplesmente é impossível de cumprir mas como vai render uma ótima grana você se mata de trabalhar de olho no dinheiro. A conclusão que cheguei é que eu estava trabalhando demais, perdendo meus momentos de descanso, lazer com a família e não estava me mantendo atualizado com as tecnologias. Mas então como ganhar mais dinheiro? Se estou dispensando o freelancer certamente vou deixar de ganhar uma boa grana certo? Será que existe uma alternativa interessante?

Um tempo atrás comecei a pensar como poderia ganhar mais dinheiro sem ter que fazer freelance, ou seja, sem ter que trabalhar mais. Parece complicado, mas é perfeitamente possível. A tese que eu defendo é que se você utilizar perto de 1/2 do tempo que você gasta com freelancer estudando e participando de projetos open source interessantes (Esses sim vão te agregar alguma coisa), futuramente você poderá continuar trabalhando suas 8 horas por dia e ganhando um salário talvez melhor que o seu atual+freela sem ter que perder seus fins de semana, lazer, descanso, entre outros. Sem contar que trabalhar com as tecnologias de ponta e ser pioneiro em implementações no local onde você trabalha é um prazer enorme.

Mas então qualquer tipo de trabalho freelancer não vale a pena? Sinceramente acho que existem projetos que valem a pena, mas posso contar nos dedos e não passa dos dedos da primeira mão. Via de regra, eu não participo mais de projetos freelancer, a não ser que seja algo muito interessante.

Pílula vermelha: Ta valendo a pena oferecer?

Antes de você ler esse artigo, gostaria de informar que esse blog agora está em um host próprio. O mesmo artigo pode ser lido em: http://codificando.com/2008/02/28/pilula-vermelha-ta-valendo-a-pena-oferecer/. Se você quiser ler aqui mesmo não tem problema, mas as próximas publicações serão feitas apenas no site http://codificando.com/. Um grande abraço.

———————————————————————————-

A área de Desenvolvimento de Software passa por uma grande mudança nos últimos anos. Existe um apelo muito grande na comunidade de desenvolvedores de software para práticas ágeis, menos burocracia e soluções práticas e eficientes para se trabalhar.

Acontece que pessoas com perfil inovador, ou mesmo pessoas mais tradicionais mas de mente aberta, se empolgam facilmente e tentam convencer as pessoas que essas “novidades” são ótimas e que a forma”antiga” com que fazemos as coisas não funciona, ou melhor nunca funcionou de forma decente.

Ai começam os problemas. Por mais incrível que pareça, as pessoas de TI em sua maioria são muito mente fechada, e quando se fala de algo do tipo a maioria delas tem uma resistência enorme e geralmente faz alguma gozação, ou simplesmente menospreza dizendo: “Meu filho, a IBM que criou isso? A Sun? A Oracle? Ah, foi Fulano de tal? quem é esse cara? Não quero saber disso não ..”

Felizmente, encontro pessoas abertas, que ouvem, percebem e ao menos procuram conhecer sobre os assuntos e na maioria das vezes a pessoa passa a entender as mudanças e se tornar adepto.

O problema disso tudo é que em vários momentos tem gente mente fechada que nos enxerga como maluco, quase uma comunidade de anarquistas, algo como se fosse uma rebelião contra o modelo atual. De fato, é uma insatisfação total, pois a coisa já ta mais que provado que não funciona, basta ver os prazos estourando, pilhas de documentos que estão sempre desatualizados e software com qualidade a baixo do aceitável.

Depois de levar tanto fora e ser tratado mau algumas vezes por algumas pessoas, será que ta valendo a pena ainda oferecer a pílula vermelha?

Acho que vou adotar a idéia do Morpheu e evitar oferecer essa pílula para as mentes adultas (Aqui você entende como quiser). Melhor oferecer com mais critério, não pelos mesmos motivos do filme matrix, mas pra evitar desgaste com pessoas, que é muito chato.

Com as mudanças que ocorreram e ainda estão ocorrendo na área de Desenvolvimento de Software, como agile, TDD (Acreditem, apesar de não ser novo tem muita gente que ainda nem sabe o que é isso), SCRUM, etc, é muito comum que as pessoas com perfil inovador, ou mesmo pessoas mais tradicionais mas de mente aberta, se empolguem bastante e tentem convencer bastante gente de que essas mudas são ótimas e que a forma com que fazemos as coisas nas grandes corporações aqui do Brasil, com processos burocráticos, quilos de documentação, metodologias Waterfall disfarçadas de RUP, simplesmente não servem mais, ou melhor, nunca serviram.

Mas eu te disse, eu te disse…

Antes de você ler esse artigo, gostaria de informar que esse blog agora está em um host próprio. O mesmo artigo pode ser lido em: http://codificando.com/2008/02/21/mas-eu-te-disse-eu-te-disse/. Se você quiser ler aqui mesmo não tem problema, mas as próximas publicações serão feitas apenas no site http://codificando.com/. Um grande abraço.

———————————————————————————-

Na década de 70, passava na TV um desenho chamado Carangos e Motocas (Wheelie and The Chopper Bunch). Eu nem era nascido nessa epoca, mas a famosa frase Mas eu te disse, eu te disse… ecoou por algum tempo ainda.

Meu primeiro post deste blog foi sobre a instalação de um componente de GNV no meu carro. Na ocasião, o problema todo foi eu ter feito uma escolha que era performática mas tinha sérios problemas na manutenção. Pois bem ….

Na semana passada, mais precisamente na segunda-feira, meu carro enguiçou próximo a empresa onde trabalho enquanto me deslocava de onde moro até o destino. Em princípio tudo bem, afinal de contas isso são coisas que acontecem. Após colocar o carro em uma oficina próxima onde meu carro parou e ver que o profissional desta não sabia muito bem como resolver meu problema, reboquei o carro até o profissional de minha confiança que sempre fez manutenção do meu carro. Chegando lá, o mesmo detectou rápidamente que o bendito do Chip GNV, que é o que me dava mais performance estava com problemas e misturando os combustíveis. Naquele momento veio a voz interior dizendo: Mas eu te disse, eu te disse, eu te disse, eu te disse, eu te disse…

Tive que levar meu carro na oficina matriz da empresa de GNV, pois como disse no outro post, com o chip só poderia ser visto lá o problema. O pessoal “especializado” jurava de pé junto que não era o chip, mas mesmo assim solicitei que modificassem a instalação para os componentes que as filiais possam dar manutenção.

Não tem nada muito de novo nessa história, tão somente o que eu havia previsto se cumpriu (Eu te disse …). O importante é ver como não pensar em manutenção quase sempre nos dará dor de cabeça no futuro e isso acontece também com nossos softwares.

Tirei duas lições importantes:

  1. Profissional confiável está dificil hoje em dia.
  2. Qualquer produto que for adquirir, pensar em como será a manutenção deste.

Por que será que a galera ta desanimando de programar?

Antes de você ler esse artigo, gostaria de informar que esse blog agora está em um host próprio. O mesmo artigo pode ser lido em: http://codificando.com/2008/01/18/por-que-sera-que-a-galera-ta-desanimando-de-programar/. Se você quiser ler aqui mesmo não tem problema, mas as próximas publicações serão feitas apenas no site http://codificando.com/. Um grande abraço.

———————————————————————————-

Tenho visto já faz um tempo dezenas de programadores que desanimaram e sequer estão programando. No meu circulo de amizades tenho percebido algumas pessoas também. Comecei a pensar sobre o assunto e pude observar 3 motivos mais frequentes:

  • Salário: Infelizmente aqui no Brasil a maioria esmagadora das empresas não valoriza quem gosta de programar. Mesmo que não tenham perfil ou não gostem, escolhem ir para gerência ou são empurrados para isso ou para outros cargos. Isso rola sempre nas empresas de 3 letrinhas.
  • Processos extremamente burocráticos: Para desenvolver poucas linhas de códigos são necessários 1589 documentos e 6731 reuniões.
  • Gosto: Não gostam mais ou nunca gostaram realmente desta atividade. Conheço muita gente que está investindo na bolsa doido pra arrumar alguma coisa pra parar de trabalhar com TI. (não que seja errado investir, pelo contrário, eu sou totalmente a favor) . Outras pessoas estão estudando outras coisas também com o objetivo de sair da área.

Bom, cheguei a conversar com um amigo de infância sobre o assunto e este me disse que não estava programando muito devido a fase atual do seu projeto ser a fase de documentação, e ele acha isso muito chato e preferia estar programando que é o que ele gosta.

Na contramão disso tudo, estou cada vez mais empolgado e percebo que no meio deste desânimo todo ainda existe gente como eu e alguns que conheço que amam programar e não fazem disso apenas uma forma de ganhar dinheiro.

PS: Philip, se por acaso você ler este post, me desculpe a quantidade de referências ao seu blog sem ter te comunicado. Fiz isso para não explicar alguma coisa que já o foi feito.